terça-feira, 22 de março de 2011

~ Aristóteles e a ética da virtude


Marcondes, Danilo. (2007). Aristóteles In Textos básicos de ética (pp. 37-48). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Tema:
Ética.

Delimitação do tema:
Ética da virtude, do caráter, da natureza humana.

Pergunta (problema):
A ética é um saber prático?

Resposta (hipótese):
Conhecendo as características que envolvem a prática a fim de exercitar a busca pela virtude da ética, pois conhecendo-as, é possível atingi-las, tornando, o sujeito mais feliz.

Objetivo:
O texto esclarece que segundo as concepções de Aristóteles, a ética é um saber prático, assim como a virtude, não é inata, mas sim aprendida, um hábito. O objetivo disso  para o ser humano é a busca da felicidade, ou a realização pessoal, como colocado pelo autor.

Justificativa:
O argumento utilizado é  o primeiro tratado de ética de Aristóteles, ou seja, a Ética a Nicômaco, e os principais tópicos trazidos são: conceito de felicidade, virtude, meio-termo, virtudes intelectuais e sabedoria prática, felicidade.
Sobre o conceito de felicidade, enlaça com a realização humana, sendo um bem-estar naquilo que se realiza. As escolhas, então, são baseadas na felicidade que virá como resultado.
Referente a virtude, enfatiza que esta não é inata do ser humano, mas um hábito, sendo necessário exercitá-la.
No que concerne ao meio-termo, afirma que o ser ético envolve um equilíbrio determinado pelas circunstâncias e situações em cada caso, devendo-se sempre evitar os extremos do excesso e da falta. Isso permite afastar a margem de erro possível, visando uma melhor decisão.
A respeito as virtudes intelectuais e a sabedoria prática,  articula que essas podem ser classificadas em cinco formas: arte ou técnica, conhecimento científico, prudência, saber prático ou discernimento, intuição intelectual e sabedoria.
No constante ao discernimento, discorre que esta é uma qualidade onde o sujeito tem capacidade de distinguir o que é bom ou ruim para si e para os outros. Como se trata de uma questão de opinião, é variável e relaciona-se com a excelência moral em sentido estrito.
Relativo a felicidade, inclui que esta pode ser entendida como a contemplação das verdades eternas. Isso inspira a felicidade interna e faz que o indivíduo utilize sua própria razão. Para isso, a sabedoria contribui para tornar o homem mais feliz.

Análise crítica:
A partir das considerações de Marcondes (2007) sobre a ética aristotélica, percebe-se que esta é uma característica que envolve a razão humana, pois envolve mecanismos de distinguir o certo do errado, analisando as circunstancias que ocorrem. Essa tomada de consciência do ser humano permite uma espécie de um julgamento com a finalidade de evitar alguma consequência drástica e procurar trazer a melhor escolha na determinada situação.
A virtude poderia ser lapidada a partir do momento que o comportamento e pensamento estão sendo moldados juntamente com a personalidade de um ser humano, como forma de um ensinamento.  Esse tipo de instruções, numa criança, por exemplo, é algo que é construído principalmente daquilo que a família onde está inserida pratica. A partir do ponto de vista da teoria psicanalítica da personalidade, muitas das crenças e formas de valores de um ser humano são recebidos e incorporados na infância, e o exercício na sociedade desse padrão de valores adotados é, a manifestação do que foi observado e aprendido na infância. Isso quer dizer que o fazer ético envolve caraterísticas que devem ser praticadas desde sempre, pois são enraizadas as concepções de certo e errado desde o começo da vida.
Concluindo, vale ressaltar a importância das funções mentais envolvidas na prática da ética, como a tomada de consciência na distinção e decisão de algo que influirá para si ou para mais de uma pessoa. Assim, a virtude pode ser entendida como pertencente a um indivíduo feliz.


Atenção: Reflexão a partir da bibliografia citada para disciplina de Ética sob orientação do Professor Mateus Salvadori. O professor tem ciência de que este material encontra-se disponível nesse endereço bem como a citação de seu nome aqui contido.

Um comentário:

André Fonseca Feitosa disse...

O texto é bem claro e objetivo! Estava pesquisando sobre a ética de Aristóteles e dei uma olhadela. Curti!
Só senti falta do conceito de Ética mesmo... Acho que você falou sobre algumas coisas, mas não fechou exatamente o conceito... Bom, talvez não era teu objetivo, mas era o que estava procurando hehehe

Abç e boa sorte com o blog! =)